045 NATAL a luz da Bíblia

N A T A L ! A  L U Z   D A  B Í B L I A

É  E S T A  U M A   F E S T A  C R I S T à  o u   P A G à ?

 

“ O meu povo foi destruído,  porque lhe faltou o conhecimento, porque tu rejeitaste o conhecimento, também eu te rejeitarei, para que não sejas sacerdote diante de mim, visto que te esqueceste da lei do teu Deus, também eu me esquecerei de teu filhos.” Os 4:6

 

            _ Qual foi a origem do Natal? É realmente a celebração do nascimento de Jesus? Jesus nasceu realmente no dia 25 de dezembro? Porque os apóstolos que eram os homens mais próximos de Jesus nunca celebraram seu aniversario? Porque sendo uma data tão importante, só começou a ser comemorada depois de 400 anos da morte de Jesus?

            Diante de tantas perguntas, vamos a luz da bíblia ver o que Deus tem a nos dizer sobre esta festa.

               

                O natal atualmente comemorado em 25 de dezembro é uma festa pagã e não tem a aprovação de Deus. Jesus não está nesse negocio.

            Uma festa que nada tem a ver com Jesus, é pagã. Não é agradável ouvir essas coisas, mas precisamos arrancar toda mentira na qual estávamos vivendo. A musica diz: “ _ Anoiteceu, o sino gemeu, e a gente ficou feliz a cantar. Papai Noel chegou ...”, “ Eu pensei que todo mundo fosse filho de Papai Noel ...” . Mas, nós não somos.

            Jesus não está ai, tal adoração é para um santo católico chamado Nicolau, que é Papai Noel.

            Esta aceitação é de quase cem por cento, porque incutiram isso na nossa mente quando éramos crianças. (Pv 22:6 “Ensina a criança no caminho em que deve andar, e, ainda quando for velho, não se desviará dele.”). Porém Deus tem nos levantado para a luz de sua Palavra desmascarar o inimigo.(2 Co 4:3-4 “Mas, se ainda o nosso evangelho está encoberto, para os que se perdem está encoberto, nos quais o deus deste século cegou os entendimentos dos incrédulos, para que não lhes resplandeça a luz do evangelho da Gloria de Cristo, que é a imagem de Deus.”).  Deus quer nos ver esclarecidos e em equilíbrio espiritual. Todo esse paganismo não é um equivoco, é uma mentira. (Jo 8:32 “ E conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará.”). Equivocar-se com algo é uma coisa, mas conscientemente fazer uma aliança com o inimigo, com a idolatria e com os deuses pagãos, não é um equivoco, ensinar tudo isso para as nações da terra é querer enganá-las e prendê-las debaixo de um jugo. Roma fez isto. Iludiu as nações da terra pelo mesmo principado que guia desde babilônia.

 

            A historia indica, desde a época do ano 6 d.C, que Jesus nasceu em setembro ou começo de outubro. Jesus nasceu em set/out e Roma transferiu para dezembro. Por quê? Porque Constantino, aproximadamente em 336, celebrou o primeiro natal pagão casado com os cristãos e isto debaixo de imposição, de opressão. Muitos resistiram e morreram durante esse contexto histórico, porque não se submeteram a tamanha aberração, dizendo que não aceitavam o paganismo. Cristãos europeus também resistiram e muitos, ao longo da historia, morreram ao fio da espada ou enforcados, e o argumento de Roma era que eles não eram cristãos.

 

            Não podemos reconhecer que algo é errado, e continuar debaixo do mesmo erro! Não podemos compactuar com isso. (Rm 6:14 “ Porque o pecado não terá domínio sobre vós, pois não estais debaixo da lei, mas debaixo da graça.”).

            A igreja Católica sabe que a idolatria é paganismo, mas não a deixa. Assim também existem ainda muitos lideres que recebem a revelação, crêem no que Deus está dizendo, mas não têm coragem de falar por medo de perder sua posição, e outros por não estarem resolvidos na questão de chamamento. Para onde vai uma igreja dessa? Deus não leva em conta o tempo da ignorância, mas depois da revelação encerram-se as complacências (benevolência, boa vontade - neste caso de Deus para com o homem).

            O homem de Deus não tem vida cômoda. Ao manifestar a justiça de Deus conseqüentemente se sofre a perseguição. (Mt 5:11-12 “ Bem-Aventurado sois vós quando vos injuriarem, e perseguirem, e, mentindo, disserem todo o mal contra vós, por minha causa. Exultai e alegrai-vos, porque é grande o vosso galardão nos céus, porque assim perseguiram os profetas que foram antes de vós.”)

 

            Existe uma diferença muito grande entre o cristianismo de Antioquia, onde pela primeira vez os cristãos foram chamados de cristãos (At 11:26), e o cristianismo romano. O cristianismo romano nada tem a ver com Jesus, o JESUS de JERUSALÉM.

           

Vamos a algumas diferenças evidentes:

 

 

Jesus de Roma

Jesus de Jerusalém

 

 

Jesus numa manjedoura, menino, imaturo, sem voz ativa.

Jesus que nasceu numa manjedoura, foi menino, mas já   cresceu, morreu, ressuscitou e em breve voltará como Rei dos Reis e Senhor   dos Senhores..

Jesus derrotado e morto que caminha pelas ruas   carregado por outros.

Jesus vivo que nos carrega ao invés de o carregarmos.

Jesus preso numa cruz, impotente, sem nada poder   fazer.

Jesus que subiu e ascendeu aos céus com autoridade.

 

            Até porque a própria bíblia nunca nos mandou celebrar o nascimento, a ordem instituída pelo SENHOR Jesus é para que a igreja se reúna na ceia do SENHOR para celebrar a sua morte e a a sua ressurreição (1Co 11:23-34), e é esta a ordem que o SENHOR nos deixou, celebrar sua morte e ressurreição e não o nascimento, para que assim renovemos nossa aliança com ELE.

 

            O dia 25 de dezembro foi designado por Roma numa aliança pagã no século IV. A primeira intenção era cristianizar o paganismo e paganizar o cristianismo, ou seja, fazer uma aliança. O cristão recebe um pouco do pagão e o pagão recebe um pouco do cristão. Mas, como poderia ter comunhão entre luz e trevas. (2Co 6:14 “ Não vos ponhais em jugo desigual com os incrédulos, porquanto que sociedade pode haver entre a justiça e a iniqüidade? Ou que comunhão, da luz com as trevas?”)

            Além do mais Natal celebra nascimento e a PALAVRA DE DEUS nos manda celebrar a volta do SENHOR como o próprio profeta disse: “Passai, passai, pelas portas, preparai o caminho ao povo, limpai-a, aplainai a estrada, limpai-a das pedras, arvorai a bandeira aos povos. Eis que o SENHOR fez ouvir até as extremidades da terra: Dizei à filha de Sião: Eis que a tua salvação vem, eis que com ele vem o seu galardão, e a sua obra, diante dele. E chamar-lhes-ão povo santo, os remidos do SENHOR, e tu serás chamada Procurada, Cidade não desamparada. (Is 62:10-11)”.   Se a igreja estacionar no nascimento, nunca terá o retorno, mas nós bradamos que a IGREJA já anuncia o retorno do seu SENHOR. Como o próprio Jesus disse: _ Ninguém sabe o dia e nem a hora, senão o Pai (Mc 13:32), a Igreja do SENHOR já esta dizendo: “ BARUCH HABAH B’SHEM ADONAI! BENDITO O QUE VEM EM NOME DO SENHOR! (Mc 11:9)            

 

            Roma disseminou em todas as nações da Terra as mentiras do paganismo. E a pergunta é de onde veio esta fonte inspirativa: do Antigo Testamento, do Novo, de Jesus, dos Discípulos ou Apóstolos? Não, infelizmente é de uma fonte satânica e pagã. O paganismo entrou na Igreja como sinal de aliança, fragilizando a verdadeira aliança com Jesus. O natal hoje é apenas um culto comercial que rende muito dinheiro. Tudo é motivo para grandes aquisições, mas a exaltação ao REI DOS REIS não existe. Nesta época, as vitrines são invadidas por gnomos, que na verdade são demônios que habitam em florestas e arvores. Não é apenas uma questão mística, mas uma realidade de batalha espiritual. O presente século é confuso e diabólico. Mas nós vamos permanecer firmes, até porque a própria PALAVRA nos fala: “_ o mundo jaz ao maligno”.(1Jo 5:19)

 

                A Enciclopédia Barsa, vol. 11, pag. 274, fala o seguinte sobre o Natal:

                A data atual foi fixada ao ano 440, a fim de cristianizar grandes festas pagãs realizadas neste dia: A Festa Mitraica (Religião Persa que rivalizava com o cristianismo nos primeiros séculos), que celebrava o Natalis Invicti Solis (Nascimento do Vitorioso Sol) e varias outras festividades decorrentes do solstício do inverno, como os saturnalia em Roma e os cultos solares entre os celtas e os gemânicos. A idéia central das missas de Natal revela claramente essa origem: As noites eram mais longas e frias, pelo que em todos esses ritos, se ofereciam sacrifícios propiciatórios e se suplicava pelo retorno da luz.

            Além desta tão conceituada enciclopédia comentar sobre o assunto, olha só o que diz a bíblia sobre a luz em Jo 8:12 “ Falou-lhes, pois, Jesus outra vez, dizendo: Eu sou a luz do mundo, quem me segue não andará em trevas, mas terá a luz da vida.”  E o v.46 “ Eu sou a luz que vim ao mundo, para que todo aquele que crê em mim não permaneça nas trevas.”

 

            Quem conhece Israel sabe que 25 de dezembro é inverno naquela região, e ninguém fica exposto ao tempo. Em Lc 2:8 diz: “Ora, havia, naquela mesma comarca, pastores que estavam no campo e guardavam durante as vigílias da noite o seu rebanho.”  Os pastores não ficariam no campo numa noite de inverno. No final de outubro e inicio de novembro os pastores já não vão mais ao campo, porque já é declarado inverno naquelas regiões. Não há pastagem, é inseguro e desconfortante para o rebanho. Roma achou por bem colocar a data de 25 de dezembro e dizer que Jesus nasceu num frio daquele. Não foi assim. A sabedoria de Deus está sobre nós para discernir o que é sagrado e o que é profano.

 

            Na realidade esta festa tem uma origem de celebração a falsos deuses “nascidos” na Babilônia, Grécia, Síria, nos países circunvizinhos do Oriente Médio, passando para a Europa, entrando em Roma e na Alemanha. A França comprou a visão, passou para a China e distribuíram para todas as nações da terra como fonte de comercio. Os tronos que foram levantados, não para Deus, abriram legalidade para que demônios entrassem. Você não quer demônios em sua casa, não é verdade? O tamanho do altar não importa, a legalidade é aberta do mesmo jeito. Você está disposto a romper com as tradições do paganismo e abraçar a revelação do Pai? Que o seu coração esteja aberto para destruir os altares pagãos da sua vida, em nome de Jesus. (1 João 2:15  “Não amem o mundo, nem as coisas que há nele. Se vocês amam o mundo, não amam a Deus, o Pai.”)  

 

OS SÍMBOLOS DO RITUAL PAGÃO

 

* As Árvores de Natal

 

 

A árvore de Natal ressuscita um deus pagão chamado Ninrode e faz reviver  Talmuz.  No ocultismo  ou  nas religiões orientais, os espíritos dos antepassados são invocados por meio de uma árvore. A Arvore de Natal é um ponto de contato  que os deuses  gostam.  Todo  feiticeiro sabe disso,  menos  a igreja.  Quem  tem  uma  árvore  de  Natal  está  legalizando a entrada de guias,   orixás  e   caboclos.  Os  ocultistas   crêem   que  as  pessoas  são energizadas  através das arvores.  Nenhum crente coloca em sua casa um trono a Baal, conscientemente.  O diabo trabalha  com ocultismo,  por isso muitas de suas insinuações são encobertas,  ocultas.  Se  sabemos  que  é errado, não fazemos.

               

                                    A Enciclopédia Barsa, vol. 11, pag. 274, diz:

 

                A árvore de Natal é de origem germânica, datando do tempo de São Bonifacio. Foi adotado para substituir os sacrifícios ao carvalho sagrado de Odin, adorando-se uma árvore, em homenagem ao Deus – Menino.

           

            A árvore de Natal é um símbolo de consagração, é uma fabula de chamamento de adoração  a deuses babilônicos. Os babilônicos consagravam uma arvore aos pés dos deuses e a levavam para casa como aprovação desses mesmos deuses, era o símbolo do deus dentro de casa, porque não se podia fazer uma replica da imagem. Esta arvore estava geralmente relacionada a um pinheiro. A musica natalina diz: “ Pinheirinhos que alegria, sinos tocam noite e dia, é natal que vem chegando, vamos pois cantarolando.”  Fizeram a musica para o pinheiro e quantas vezes cantamos no púlpito! Sabemos que o fizemos por ignorância, mas agora recebemos esclarecimento.

            O pinheiro faz parte de um ritual da adoração a Ninrode e a Semírames (Semírames era mãe e Mulher de Ninrode com teve um filho chamado Talmuz). Com a arvore de Natal dentro de nossa casa estamos ressuscitando um trono babilônico, dando legalidade para demônios agirem.

Leia com muita atenção a PALAVRA DE DEUS em Jr 10:2-4 “Assim diz o SENHOR: Não aprendeis o caminho das nações, nem vos espanteis com os sinais dos céus, porque com eles se atemorizam as nações. Porque os costumes dos povos são vaidade, pois cortam do bosque um madeiro, obra das mãos do artífice, com machado. Com prata e ouro o enfeitam, com pregos e com martelos o firmam, para que não oscilem.”  O restante do capitulo mostra a dura exortação que Deus dá ao Seu Povo. Por quê? Porque trouxe para dentro de casa um costume do povo pagão. Você quer conservar um costume pagão? Eu creio que não. Então esteja disposto a continuar em aliança com o SENHOR. Essa arvore, segundo o texto, vira um ídolo; então; cuidado.

Outros textos como base:

1 Rs 14:22-23 / Dt 12:2-3 / 2 Rs 17:9-10 / Is 57:4-5 / Dt 16:21 / Os 4:13.

A Bíblia está nos colocando em degraus de revelação. Não podemos manter uma mentira dentro de nós. E a pergunta é: _ O que poderia um deus pagão oferecer de benção a um cristão?

 

                                    * Velas

 

As velas também fazem parte de um ritual pagão dedicado aos deus ancentrais, a vela acendida está fazendo renascer o ritual dos solstícios, mantendo vivo o deus sol. Dentro das escolas que estudam o paganismo as velas são chamadas de demônios, é a simbologia de manter os demônios vivos. As velas não tem relação alguma com as luzes do candelabro judaico – MENORAH. As velas consagradas a demônios são de base perigosa. Estamos nos referindo as velas dos rituais profanos.

            Não devemos generalizar ou cair no fanatismo. Você não precisa deixar de usar velas, quando necessário, para alumiar ambientes, ou como decoração. Assim também como o pinheiro é algo criado por Deus, porem guando usado desta forma, aí é que contraria a Palavra de Deus.  

 

 

                                   * Presépio

                                                                                            

            O presépio é um altar a Baal, consagrado desde a antiguidade babilônica. É um estimulo à idolatria. São Francisco, no séc. XVIII, enquanto um dos lideres da Igreja católica, instituiu o presépio para lembrar as festividades natalinas, na verdade uma convocação que leva o povo a ficar com a fé limitada ao material, ao que é palpável.

 

           Se você curiosamente ler a historia cristã verá firmemente que a influencia romana é presente em quase todo o comportamento cerimonial da igreja chamada evangélica. A igreja deve viver os princípios do Evangelho, porem se tem mistura, não poderá prosperar.

 

           Vejamos os riscos que estamos incorrendo, e com muita maturidade não permitimos que um trono levantado a Baal esteja dentro de nossa casa. As figuras utilizadas são intencionais. Por esses e outros motivos, temos que tomar posição. O presépio é um altar consagrado, é um incentivo á idolatria, é uma visão pagã. Seja livre! Fuja, fuja da idolatria, assim diz a Palavra: 1 Co 10:14-15 “ Portanto meus amados, fugi da idolatria. Falo como a sábios, julgai vós mesmos o que digo.”  

 

                                   * Papai Noel

 

Papai Noel não é um santo, é na realidade um ídolo. Você só tem um papai que é Deus. Não podemos receber Noel no lugar de Deus! Nós só temos um Pai espiritual.

 

Olha só o que diz a Enciclopédia Britânica, 11ª. Edição, vol. 19, pag. 648 – 649.

 

                São Nicolau, bispo católico ... conta-se a lenda segundo a qual presenteava ocultamente três filhas de um

homem muito pobre ... deu origem ao costume de dar presentes em secreto na véspera do dia de São Nicolau (6 de dezembro) data da qual depois foi transferida para o Natal.

 

            Daí a associação do Natal a São Nicolau. Esta figura foi canonizada para roubar a adoração. Qualquer ídolo esta relacionado a vaidade. O objetivo principal das trevas é arrancar a nossa visão de Cristo e trazer figuras de substituição, fazer crescer no coração do povo uma visão errada do que é Reino de Deus, afinal esta é a finalidade de satanás na terra com já vimos acima em 2 Co 4:3-4.

Há uma mistura do hedonismo (hedonismo é a tendência a considerar que o prazer individual é imediato e finalidade de vida)  com a idolatria.

 

            Como pode alguém aceitar uma estória que fala sobre um velhinho que sai em uma carruagem com renas acompanhado de ajudantes duendes,(“duendes?”) por todo o mundo e em uma só noite de casa em casa, entregando presentes? E se você sabe que tudo isso é estória e que Papai Noel não existe, que tudo isso é apenas brincadeirinha, então por que faz tudo que exige o ritual do Natal? Por que ilude seus filhos com essa estória? Por que permite que uma mentira se torne realidade em sua casa?

            Leia atentamente o diz em: Pv 26:18-19 “ Como o louco que lança de si faíscas, flechas e mortandades, assim é o homem que engana o seu próximo e diz: Fiz isso por brincadeira.”            

            Creio que não somos este tipo de pessoa (louco), mas quem usa destas brincadeiras para enganar, é comparado de igual modo pela PALAVRA DE DEUS, que é em tudo verdadeira. “Pense nisso.”

 

CONCLUSÃO

               

                A igreja genuinamente igreja, deve começar a dar valor àquilo que realmente JESUS dá valor. Comecemos então pela busca da verdade e do verdadeiro culto.

            Nestes dias o SENHOR tem restaurados muitas verdades que haviam se perdido, o ESPIRITO SANTO tem soprado tentando trazer a sua CASA para a planta original, isto é, a andar no fundamento dos apóstolos.

            Restauração não é o caminho mais fácil, pois implica em romper com praticas e tradições seculares que estão enraizadas na vida da igreja, mas que não fazem parte do ensino dos apóstolos.

            Alguém definiu Restauração da seguinte maneira: “ Restaurar é manter aquilo que temos que é verdadeiro e buscar aquelas verdades que se perderam e abandonar totalmente aquilo que de forma errônea foi agregado.”

 

            Infelizmente muitas pessoas acham que tudo isso são detalhes sem importância, mas aqui gostaria de citar uma frase do Pr. Marcio Valadão: _ NUNCA TROPEÇAMOS EM MONTANHAS, MAS SIM EM PEQUENAS PEDRAS.”.

 

            O diabo é astuto, mas Deus é sábio e dá sabedoria a quem busca. Cabe ao sábio o discernimento.

 

            Diante de tudo que leu acima, quero apenas alertá-lo, este não é um estudo para obrigá-lo a nada, até porque o próprio Deus nos dá o direito de escolha (Dt 30:19-20), mas também dizer que a partir de agora você não é mais ignorante diante desde assunto, e é claro a decisão de como você irá agir é totalmente sua, assim como as conseqüências que cada decisão traz junto de si.

 

            Ore ao SENHOR, reflita no que leu e não se deixe ser enganado por esta mentira que até infelizmente  em muitas igrejas do SENHOR tem reinado até hoje

 

            1 Ts 5:20-23 “Não desprezeis as profecias. Examinai tudo. Retenha o que é bom. Abstende-vos de toda aparência do mal. E o mesmo Deus de paz vos santifique em tudo, e todo o vosso espírito, e alma, e corpo sejam plenamente conservados irrepreensíveis para a vinda de nosso SENHOR JESUS CRISTO.”

 

            Que nosso SENHOR e PAI abençoe-nos, em nome daquele que está voltando: JESUS !

 

 

Vários textos acima foram extraídos dos Aps. Terra Nova e Marcio Valadão

Todos os textos acima, tem como base a Bíblia Sagrada, Enciclopédia e Grifos Pessoais.

Prs. Renato e Jaci Soares